Cigarro eletrônico: médica fala sobre os riscos do dispositivo para a saúde

Pneumologista do Hospital de Messejana, em Fortaleza, destaca pontos sobre os riscos envolvendo o uso do dispositivo, que está proibido em estabelecimentos públicos e privados do Ceará

Foto: Divulgação


WWW.ASSARENOTICIAS.COM.BR


O cigarro eletrônico, incluindo vaporizadores, vape, e-cigarro, e-cig, e-cigarette ou "qualquer outro dispositivo eletrônico para fumar", estão proibidos em estabelecimentos públicos e privados do Ceará. A Lei i nº 17.760 sancionada pelo governador Camilo Santana e que vigora desde o último dia 12, gerou polêmicas entre os usuários e não usuários dos Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs).


Os defensores do uso do cigarro eletrônico justificam que a decisão é desnecessária, uma vez que os efeitos das substâncias encontradas na composição do produto não são as mesmas do cigarro tradicional. Quem se coloca à favor da norma acredita que independente de qual seja a substância, fumar não é um hábito saudável.


Muito utilizado entre jovens, ainda existem muitas dúvidas sobre os danos que o cigarro eletrônico pode causar no organismo. No entanto, segundo especialistas de combate ao tabagismo, há um consenso sobre os DEFs, como explica Penha Uchoa, pneumologista e coordenadora do Programa de Controle do Tabagismo do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM).


“As pesquisas já mostraram que foram encontradas além do glicerol, nicotina, álcool, formaldeído e acetaldeído, substâncias conhecidas como cancerígenas. Então os riscos potenciais para danos no organismo, eles existem”, disse Uchôa.



Em vídeo divulgado pelo Governo do Estado, a médica, com mais de 20 anos de trabalho no auxílio de pessoas que querem largar o vício do tabagismo, falou dos riscos do uso de DEFs. Destacamos os principais trechos citados por ela:


-Os dispositivos possuem substâncias tóxicas, além da nicotina, que podem causar doenças respiratórias


-Em 2019, nos EUA, síndrome gripal que evoluiu para insuficiência respiratória grave estava ligada ao uso dos cigarros eletrônicos


-Há uma crença, entre os mais jovens, de que os dispositivos são menos perigosos do que os cigarros tradicionais


-O fato de os cigarros eletrônicos possibilitarem muitas mudanças rápidas em modelos, cores, sabores e odores cada vez mais agradáveis atraem mais consumidores. "Tornando os elementos tradicionais palatáveis, isso reduz muito aquela sensação, aquele gosto ruim da experimentação do primeiro cigarro"


-O indivíduo que usa o cigarro convencional e que tenta parar utilizando DEFs, não consegue parar de fumar. Assim, ele se torna um fumante dual, ou seja, um fumante tanto do cigarro eletrônico como do cigarro convencional

Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Redes Socias

Google Plus Facebook Instagram email Email

JP Viagens

Escritório de Advocacia

Arena I9

HOTEL ALENCAR

MSET DIGITAL

Dallas Carirí

Salles Quentinhas

Escritório de Advocacia

AL SOM

Inove Eventos

FARMÁCIA BIOFARMA

As Mais Lidas do Site

Total de visualizações do Site