“Próxima pandemia poderá ser pior”, diz criadora da AstraZeneca

Imagem: Ilustração

WWW.ASSARENOTICIAS.COM.BR

A pandemia da Covid-19 não será a última enfrentada pela humanidade, diz a criadora da vacina da Oxford AstraZeneca. Segundo Sarah Gilbert durante a conferência Richard Dimbleby, na Inglaterra, nesta segunda-feira (6), “esta não será a última vez que um vírus ameaça nossas vidas e meios de subsistência, a verdade é que o próximo poderá ser pior. Pode ser mais contagioso, ou mais letal, ou ambos. Não podemos permitir uma situação em que passamos por tudo isso e depois descobrimos que ainda não há financiamento para a preparação para uma nova pandemia”, afirmou.


Gilbert ainda falou sobre a nova variante da Covid-19, a Ômicron. De acordo com a especialista, é preciso ficar alerta e tomar medidas para conter o alastramento da cepa, mas que ainda não há provas de que essa nova versão do vírus seja capaz de barrar a proteção dos imunizantes. 

“Até que saibamos mais, devemos ser cautelosos e tomar medidas para desacelerar a disseminação dessa nova variante”, completou.


Potencial da AstraZeneca

O estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Complexo da Maré, localizado no Rio de Janeiro, atestou a capacidade de proteção da primeira dose da vacina contra a Covid-19, Astrazeneca. Os resultados demonstram que passados 21 dias da aplicação do imunizante, a efetividade contra casos sintomáticos de Covid-19 foi de 42,4%.


De acordo com os pesquisadores, o resultado está de acordo com avaliações anteriores para a primeira dose no contexto de circulação das variantes Gama ou Delta. Eles consideram o índice bom, confirmando a capacidade da vacina para conter casos sintomáticos e alertam que a segunda dose é essencial para garantir a proteção.

Inclusive, um recorte por faixa etária foi divulgado: verificou-se que os mais jovens tiveram maior proteção do que os mais velhos. Tanto que na população abaixo de 35 anos, a efetividade foi de 57,5% e acima dessa idade, a proteção caiu para 34,8%. 

Por outro lado, há uma melhora ao longo do tempo, pois a efetividade em toda a população acima de 18 anos chega a 58,9% entre o 42º e 55º dia após a primeira dose da AstraZeneca e passa a cair depois disso. 



Fonte: Olhar Digital


Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Redes Socias

Google Plus Facebook Instagram email Email

JP Viagens

Escritório de Advocacia

Arena I9

HOTEL ALENCAR

MSET DIGITAL

Dallas Carirí

Salles Quentinhas

Escritório de Advocacia

AL SOM

Inove Eventos

FARMÁCIA BIOFARMA

As Mais Lidas do Site

Total de visualizações do Site